Lançamento 10 anos Liinc em Revista: Dossiê Redes, Ruas, Mídias

por PACC | 29.05.2014

Já está no ar o número 1, volume 10, da Liinc em Revista, que conta com o dossiê “Redes, Ruas, Mídias: Revolta e Reação”, organizado por Marco Schneider, pesquisador visitante e associado do PACC, Ivan Capeller e Arthur Bezerra. Estão todos convidados para o EVENTO DE LANÇAMENTO, comemorando os 10 anos da Liinc em Revista e coincidindo com um ano das “jornadas de junho”, no próximodia  5 de junho, 16h30, no CBPF – espaço do restaurante.
CONVITE LIINC

____________________________________

Africanidades em Diálogo no MAR

por PACC | 20.05.2014

O IPEAFRO e o MAR apresentam, no ano do centenário de Abdias Nascimento, os encontros e debates Africanidades em Diálogo. A primeira atividade será uma palestra do professor MOLEFI KETE ASANTE, autor da proposta teórica da afrocentricidade e colega de Abdias Nascimento na Universidade do Estado de Nova York na década dos 1970.

AFROCENTRICIDADE E QUILOMBISMO
Palestra de Molefi Kete Asante, Universidade Temple, EUA
Debate com Éle Semog, Secretário Executivo do CEAP e Elisa Larkin Nascimento, Diretora do IPEAFRO

Quarta-feira, 28 de maio de 2014 às 19h
Auditório do MAR (Museu de Artes do Rio)
Praça Mauá, 5 – Região Portuária
Haverá tradução
Entrada Franca

Molefi Kete Asante é autor da afrocentricidade e professor titular do Departamento de Estudos Africano-Americanos da Universidade Temple, Filadélfia, EUA. O poeta Éle Semog é secretário executivo do Centro de Articulação das Populações Marginalizadas (CEAP) e integra o Conselho Executivo do Instituto Palmares de Direitos Humanos (IPDH). Elisa Larkin Nascimento é diretora do Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros (IPEAFRO) e organizou a coleção Sankofa (2008; 2009), cujo quarto volume é a primeira coletânea publicada no Brasil sobre o tema da afrocentricidade.

MOLEFI-MAR-

____________________________________

Seminário “O Urbano no Serviço Social: interlocuções possíveis”

por PACC | 20.05.2014

O Seminário “O Urbano no Serviço Social: interlocuções possíveis” deve se constituir em um espaço de intercâmbio de pesquisadores, de diferentes disciplinas, da Escola de Serviço Social/UFRJ e convidados para o aprofundamento de questões que perpassam seus estudos. Tal discussão é de grande relevância para o Serviço Social e outros profissionais que têm como tarefa a elaboração, execução e avaliação das políticas públicas que perpassam o urbano, bem como para as demais profissões no sentido de oferecer elementos críticos para a discussão de questões candentes na cidade contemporânea. Confira abaixo a programação:

Seminário

____________________________________

 

 Exposição “Eu como Você”

por PACC | 12.05.2014

A exposição Eu como Você apresenta trabalhos que marcaram a trajetória do Grupo Empreza, de Goiás, iniciada em 2001. Dividida em duas galerias, a mostra traz registros das ações do grupo e um núcleo de vivências, onde o público terá contato direto e diário com o Empreza.

Exposição Eu como Você
13 de maio a 20 de julho
Terça a Domingo, das 10h às 17h
Terça-feira entrada gratuita
Museu de Arte do Rio – MAR

EU COMO VOCÊ

____________________________________

Lançamento do livro “Porto Velho: Do Inferno Verde ao Inferno Urbano”

por PACC | 07.05.2014

Aparecida Luzia Alzira Zuin, pesquisadora da UNIR, associada ao PACC, publica Porto Velho: do inferno verde ao inferno urbano. “Para tratar de Porto Velho, capital do Estado de Rondônia, no imaginário amazônico, foi necessário se valer dos elementos socioculturais e econômicos a partir dos quais esse lugar se constituiu. Por isso, a Amazônia se tornou o ponto inicial do processo de pesquisa”, informa Zuin sobrea  pesquisa que resultou neste livro. Leia a Sinopse e o Prefácio.

PVH_Convite PVH_Sinopse

____________________________________

Lançamento do livro “Possibilidades da nova escrita literária no Brasil”

por PACC | 07.05.2014

Os organizadores, Beatriz Resende e Ettore Finazzi-Agró, e os autores convidam para o lançamento do livro Possibilidades da nova escrita literária no Brasil (Revan), na próxima terça-feira, dia 13 de maio, na Livraria Argumento do Leblon, às 19 horas.

Trabalhar com a literatura brasileira de hoje ou apenas de ontem, tentar traçar um panorama e fazer um balanço da produção literária dos nossos dias é a tarefa difícil que estudiosos aqui reunidos se propuseram, sabendo de antemão que essa “pontualidade” com um discurso poético tão heterogêneo e tão disperso, no momento de se fazer ou momentaneamente perfeito, não prevê nenhuma garantia.

Convite_1

 

Leia o comentário de Paulo Roberto Pires, professor da Escola de Comunicação da UFRJ e pesquisador do Polo Literário PACC/Letras/UFRJ

Se, como queria Paulo Leminski, é difícil achar o novo na novidade, os ensaios aqui reunidos não se furtam a essa tarefa hercúlea. Reunidos por Beatriz Resende e Ettore Finnazi-Agró,  são rigorosamente fiéis ao título que os enfeixa. Tratam, com o risco inevitável e o cuidado necessário, de interpelar a literatura que se faz hoje no Brasil. À tergiversação sobre o que é “o contemporâneo”, preferem discutir o que realmente interessa: autores, suas obras, as relações entre uns e outras, as relações entre eles e seu tempo e o que delas se pode deduzir. Juntos, dão a ver o desenho de uma paisagem inquieta e inquietante, em permanente movimento e rearranjo que, se torna improvável qualquer totalização, mais estimula do que inibe a crítica.

O que há de novo na novidade da literatura brasileira é, arrisca Beatriz Resende, a passagem do horizonte do provável para o horizonte do possível. Em meio à algaravia de autores e críticos, pode-se distinguir de forma mais ou menos nítida vozes emergentes e já consistentes, desentendimentos ferozes e diálogos inesperados. Esses movimentos arrojados contrastam acentuadamente com uma fase de relativo imobilismo e franca dispersão que marcou a produção literária de pelo menos uma década depois da redemocratização política do país.

Os nove ensaios deste livro esquadrinham, portanto, uma vida literária saudavelmente fora dos eixos. Nela, a fronteira entre literatura e outras artes fica cada vez mais tênue, a escrita inverte a mão da história e sai da periferia para o centro, o realismo é cada vez mais rasurado numa mistura incandescente de fato e ficção, a literatura esparrama-se como fenômeno midiático e vira artigo de exportação que se quer longe dos estigmas do exótico.

O horizonte do possível está longe de ser a bonança do otimista. Esse mesmo cenário também é visto como a consagração do conservadorismo estético, a facilitação da narrativa em fórmulas prontas e a submissão da criação às regras de um mercado editorial onívoro, que transformou o Brasil na next big thing fetichista do mundo global.

Que o leitor abandone, portanto, qualquer esperança de encontrar aqui uma resposta. A possibilidade de crítica deste mundo complexo está na persistência em fazer mais e mais inquietantes perguntas – e não na ânsia de encontrar soluções para os instigantes impasses que aponta.

________________________________________________________________

Lançamento do livro “Teatro, Performance e Pedagogia Dionisíaca”

por PACC | 06.05.2014

João Gabriel Teixeira, pesquisador visitante e associado do PACC acaba de publicar o livro Teatro, Performance e Pedagogia Dionisíaca (UnB), onde relata a experiência e as descobertas ocorridas ao longo de sua trajetória, na qual fez uso de o uso de abordagens teatrais para ensinar sociologia. Em entrevista ao Correio Braziliense, Teixeira afirmou: “Cada um dos textos dramáticos construídos e escolhidos correspondeu a um campo sociológico, garantindo a ampliação do conhecimento sobre fatos e fenômenos sociais, educacionais, da família, do trabalho, da adolescência, da religião, entre outros. Nos demais espetáculos, foram empregadas formas teatrais diferenciadas que se aproximaram mais do campo da performance, concebida como uma linguagem artística”. Leia mais sobre a obra abaixo.

2000000

________________________________________________________________

Lançamento dos livros “Histórias do Ceará” e “Cidadades Invisíveis”

por PACC | 11.04.2014

Dentro da programação do II ENCONTRO DE ENSINO E PESQUISA DOS CURSOS PARFOR/UVA – Saberes docentes e autonomia dos professores, realizado de 11 a 12 de a abril de 2014 na Universidade Estadual Valedo Acaraú – Sobral-CE, serão lançados dois livros organizados pelo Prof. Carlos Augusto Pereira dos Santos (professor do Curso de História da UVA e Pesquisador Visitante do PACC-UFRJ). O primeiro intitulado Histórias do Ceará, coorganizado com o Prof. Agenor Soares e Silva Júnior foi desenvolvido junto aos alunos da turma de História PARFOR/UVA -2009, traz uma coletânea de artigos sobre os municípios da zona noroeste do estado do Ceará, recuperando para a historiografia cearense, histórias da escravidão e religiosidade popular destes lugares, principalmente.  O segundo, Cidades Visíveis, é fruto das reflexões sugeridas na disciplina Cultura e Cidade do Curso de Especialização em Ensino de História do Ceará da UVA, onde cada aluno/autor analisa um aspecto da cultura de suas cidades de origem, traçando um painel das manifestações culturais em sua diversidade regional.

________________________________________________________________

Palestra “A Invenção do Meio: O Multiculturalismo entre Imaginário e Imaginação”, com o Professor Ettore Finazzi-Agró

por PACC | 08.04.2014

A Diretoria de Cultura e Extensão da Faculdade de Letras da UFRJ, o Programa de Pós-Graduação em Ciência da Literatura da UFRJ e o Polo Literário/PACC/UFRJ convidaram para a palestra “A Invenção do Meio: O Multiculturalismo entre Imaginário e Imaginação”, com Ettore Finazzi-Agró, Professor Titular de Literatura Portuguesa e Brasileira da Sapienza – Università di Roma, que acontece no dia 10 de abril, quinta-feira, 14h, no Auditório G2, da Faculdade de Letras da UFRJ. Após a palestra, acontecerá o lançamento de seu novo livro Entretempos, da Editora UNESP. 

Ettore 5af

________________________________________________________________

Alessandro Molon e Evandro Ouriques debatem o Marco Civil da Internet

por PACC | 08.04.2014

O deputado estadual Alessandro Molon (PT-RJ), relator do projeto do Marco Civil da Internet, aprovado na Câmara dos Deputados e que seguiu para votação no Senado, e o professor Evandro Vieira Ouriques, coordenador do NETCCON-Núcleo de Estudos Transdisciplinares de Comunicação e Consciência, da Escola de Comunicação da UFRJ, vão tratar do tema “Marco Civil da Internet: a quem não interessa?”, no próximo dia 11 de abril, sexta-feira, às 18h, em uma realização do Setorial de Educação do PT-RJ no Auditório do Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro e Região, à Rua Pedro Lessa, 35-2º andar, no Centro do Rio de Janeiro.

Para Alessandro Molon, “a aprovação do Marco Civil da Internet na Câmara foi uma grande vitória da sociedade brasileira, que participou ativamente da elaboração do texto. O Brasil dá um passo decisivo na proteção dos direitos dos internautas e passa a nortear este debate internacionalmente, ao garantir a neutralidade da rede, a proteção à privacidade do internauta e a liberdade de expressão. Não à toa, o projeto é apoiado pelo criador da World Wide Web (www), o físico britânico Tim Berners-Lee”.

De acordo com Evandro Vieira Ouriques, “o Marco Civil preserva a potência de emancipação da cultura digital, e incentiva a construção psicopolítica da capacidade coletiva que realiza a mudança. O foco é imaginar um outro poder, através da eliminação dos estados mentais anti-democráticos e insustentáveis. A internet é lugar extraordinário para a prática de nos auto-livrar em rede das forças antigas da ganância e da violência, pois as ameaças são muitas, como por exemplo a internet patrocinada, que já chegou ao Brasil”.

Flyer Molon e Evandro no Sinpro

________________________________________________________________

Congresso Internacional de Direito na Amazônia

por PACC | 07.04.2014

A Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) promoverá entre os dias 07 e 10 de abril de 2014 o Congresso Internacional de Direito na Amazônia. O Congresso visa oferecer no âmbito da Universidade Federal de Rondônia (UNIR) e Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e à sociedade nacional e internacional conhecimento sobre as pesquisas desenvolvidas pelo corpo docente e dos discentes do Departamento de Ciências Jurídicas – DCJ, curso de Direito/UNIR, como ainda compartilhar das pesquisas realizadas no Brasil e exterior sobre Direito, Políticas Estratégicas e Cidade. A coordenação é da Profª. Aparecida Luzia Alzira Zuin, pesquisadora visitante do Pós-Doc.

program-pt_BR

________________________________________________________________

Lançamento do livro “Novos estudos em relações étnico-raciais”

por PACC | 07.04.2014

Contra Capa Editora, Faperj, Blooks Livraria e as autores convidam para o lançamento do livro Novos estudos em relações étnico-raciais: sociabilidade e políticas públicas, dia 08.05, às 19h, na Blooks Livraria.

convite.cdr

________________________________________________________________

VII Seminário Nacional de Pesquisa em Arte e Cultura Visual

por PACC | 14.03.2014

Convidamos todos os professores da FAV a participarem do VII Seminário de Arte e Cultura Visual – PPGACV, que acontecerá de 4 a 6 de junho de 2014 na FAV. Todas as informações sobre a programação, procedimentos de inscrição de trabalhos, entre outras podem ser encontradas no site do Seminário.

________________________________________________________________

Acervo da Laje no Programa Aprovado, na TV Bahia

por PACC | 27.01.2014

José Eduardo Ferreira Santos, mestre em Psicologia (UFBA), doutor em Saúde Pública (UFBA) e Pós–Doutorando em Cultura Contemporânea (PACC/UFRJ) com o projeto Acervo na Laje, participou recentemente do Programa Aprovado, na TV Bahia, onde falou sobre o seu trabalho de pesquisa apresentado no PACC, que vai ganhando novos contornos na periferia e no estado.

> Clique aqui para assistir ao programa.

________________________________________________________________

Evandro Ouriques realiza conferências em Portugal

por PACC | 16.01.2014

Após conferência na Universidade de Santiago de Compostela e reunião científica na Universidade da Coruña, Evandro Vieira Ouriques, que está na Europa baseado na Faculdade de Letras da Universidade do Porto a convite do Programa Erasmus Mundus, será recebido no próximo 17 de janeiro, sexta-feira, para conferência no Doutoramento em Ciências da Comunicação da Universidade da Beira Interior; para mesa-redonda dia 20 de janeiro com Luciane de Lucas Santos, do Grupo de Economia Solidária do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, que será realizada na Casa da Esquina; e dia 28 de janeiro na Universidade Nova de Lisboa pelo Prof. José Bragança de Miranda, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, para reunião científica.

Na Universidade da Beira Interior seu tema será “Psicopolítica e construção de solidariedade nas redes sociais” e a convite do Grupo de Economia Solidária do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra tratará, juntamente com Luciane de Lucas Santos, do tema “Psicopolítica e Representações Sociais Dominantes: a urgência de se pensar formas contra-hegemónicas de comunicação e economia”.

O Prof. Dr. Ouriques, Coordenador do NETCCON. Núcleo de Estudos Transdisciplinares de Comunicação e Consciência, da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro e Supervisor de Pesquisas de Pós-Doutorado em Estudos Culturais do Programa Avançado de Cultura Contemporânea, da Faculdade de Letras da UFRJ, está em Mobilidade Acadêmica na Universidade do Porto a convite do Erasmus Mundus para levar seu trabalho dedicado, em rede, à Psicopolítica da Teoria Social, e ao seu método, a Gestão da Mente, aplicadas no caso desta mobilidade acadêmica à construção de solidariedade nas plataformas digitais e redes sociais.

> Clique aqui para mais informações.

________________________________________________________________

Evandro Ouriques na Universidade de Santiago de Compostela

por PACC | 16.01.2014

Evandro Vieira Ouriques, que está na Europa baseado na Faculdade de Letras da Universidade do Porto a convite do Programa Erasmus Mundus, tratará do tema Auto-reflexão, Fato e Valor: a Unidade para a Mudança em palestra na Reunião Científica do Grupo Galabra, da Faculdade de Filologia da Universidade de Santiago de Compostela, no próximo dia 14 de Janeiro, às 16 horas, no Seminário B.

O Prof. Dr. Ouriques, Coordenador do NETCCON. Núcleo de Estudos Transdisciplinares de Comunicação e Consciência, da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro e Supervisor de Pesquisas de Pós-Doutorado em Estudos Culturais do Programa Avançado de Cultura Contemporânea, da Faculdade de Letras da UFRJ, vai tratar da importância epistêmica e metodológica da dinâmica auto-reflexão, valor e fato, como em Terry Eagleton, quando o self dá uma cambalhota psicopolítica para trás, toma a si como objeto de conhecimento e, desta maneira, instaura a unidade que permite que a mudança do valor narre a mudança do fato.

– “É quando o self silencia a episteme hipermasculina do “progresso” e escuta as epistemes na diáspora, como a do galego “sentimento da terra”, que Ciência, Cultura, Tecnologia e Arte são emancipadas pela unidade das forças de mudança social, face à crescente unidade do totalitarismo tecno-consumista” afirma o Acadêmico, que trabalha este tema também em seu artigo, no prelo da 6a. Edição do Boletim da Academia Galega da Língua Portuguesa, sob o títuloAuto-reflexão, Fato e Valor: o Silêncio Epistêmico que emancipa Ciência, Cultura, Tecnologia e Arte.

Evandro vai reiterar a centralidade do aprofundamento em rede da construção em rede da perspectiva Psicopolítica para a Teoria Social e os movimentos sociais, na medida em que a episteme de tal “crescimento ilimitado” é sustentada tanto pelas predisposições dos sujeitos à manipulação, quanto pelas operações psicológicas com efeitos politicos que delas se aproveitam, como as recentes da National Academy of Science-EUA, ao realizar parcerias com militares daquele país visando “medir as capacidades humanas” e “a combinação das capacidades individuais para criar uma capacidade coletiva de realização”.

O Prof. Evandro está em Mobilidade Acadêmica na Universidade do Porto a convite do Erasmus Mundus para trazer seu trabalho dedicado, em rede, à Psicopolítica da Teoria Social, e ao seu método, a Gestão da Mente, aplicadas no caso à construção de solidariedade nas plataformas digitais e redes sociais.

O Grupo Galabra

O Grupo Galabra tem como objetivos fundamentais da sua atividade a produção e transferência de conhecimento sobre assuntos ligados ao funcionamento da literatura e da cultura (entendida como as formas de as pessoas verem, classificarem e intervirem no mundo), com especial atenção ao caso das comunidades de língua portuguesa, de uma perspetiva de análise social e da cultura.

Neste sentido aplica procedimentos metodológicos de caráter quantitativo e qualitativo em trabalho de campo e de corpus, sobre a base das teorias sistémicas, de campo, de análise de redes e empíricas, com desenvolvimento próprio e adaptado às diferentes realidades do âmbito de pesquisa do grupo.

Pretende igualmente derivar know how da sua pesquisa, praticando a investigação aplicada e o desenvolvimento de produtos, recursos e serviços nestes âmbitos com incidência no planejamento da cultura e com atenção à criação de spin-off, empresas em geral e empregabilidade como fórmulas de intervenção e progresso sociais.

Suas linhas de investigação são: Cultura, identidade e imagens da cultura; Sociologia da literatura, relações culturais, língua e cultura, literaturas/culturas em contato/comparadas, civilização e carateres nacionais (na Galiza, Portugal, Brasil e nos países africanos de língua portuguesa); Metodologia de análise da literatura e da cultura; Teoria e crítica literária, literatura, cultura e turismo.

Evandro Vieira Ouriques

Transdisciplinar desde 1984, é Cientista Político, Jornalista, Designer e Terapeuta de base analítica, corporal e energética. Doutor em Comunicação e Cultura.ECO.UFRJ, Coordenador do NETCCON. Núcleo de Estudos Transdisciplinares de Comunicação e Consciência.UFRJ, Vice-Coordenador do GT Comunicação e Estudos Socioculturais.Associação Latinoamericana de Investigadores da Comunicação, e Acadêmico Correspondente da Academia Galega da Língua Portuguesa, é Supervisor de Pesquisas de Pós-Doutorado em Estudos Culturais.Programa Avançado de Cultura Contemporânea-UFRJ.

Conhecido por sua capacidade de diálogo transcultural, articula o pensamento do Sul com o pensamento europeu não-hegemônico e com reservas filosóficas dos povos originários, do Oriente e do Ocidente Antigo.

Entre seus títulos: Melhor Acadêmico do Mundo, Reputation Institute, NY, 2010; Menção Honrosa do Prêmio Jeca Tatu, Academia Brasileira de Letras/ Propeg, 1987; Guerreiro Zulu, Universal Zulu Nation, 2011; e Acadêmico Correspondente, Academia Galega da Língua Portuguesa, 2012.

É líder e/ou membro de grupos de pesquisa no Brasil (3), e também no Chile, Estados Unidos, Colômbia e Reino Unido; e, além destes países, está publicado também na Dinamarca, na Galiza e em Portugal.

________________________________________________________________

Brinquedos artesanais no Museu Janete Costa, em Niterói

por PACC | 16.12.2013

Clique para ampliar

O Museu Janete Costa de Arte Popular recebe a exposição “Dim Brinquedim, homo ludens: brinquetú, brincamos nós!”, com obras dos artistas plásticos Dim Brinquedim, Adalton Lopes e Antônio de Oliveira, em cartaz de 7 de dezembro a 31 de março de 2014.

A mostra, que conta com o apoio do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural – INEPAC e do Museu Casa do Pontal, reúne brinquedos, esculturas, telas e objetos tridimensionais produzidos pelo artista cearense Dim Brinquedim, além de peças dos artistas Adalton Lopes, de São Gonçalo, e Antônio de Oliveira, de Minas Gerais, que têm o brinquedo como inspiração.

Clique para ampliar

Os brinquedos populares sempre estiveram presentes na vida de Dim Brinquedim, que saiu da infância, da adolescência, entrou na fase adulta e continuou brincando, criando bonecos e jogos infantis. Desde pequeno, sua mãe já o chamava de “Dim faz tudo”. Na realidade, Antônio Jader, que hoje tem 45 anos, nunca deixou de criar. Tanto é verdade, que não repete os brinquedos que constrói, os “brinqueDim”. Em cada um deles, sempre acrescenta algo de novo, de diferente.

Pai da Risa, uma atriz e escritora de 11 anos, e de Ud, de 7 anos, que também já faz brinquedos, o artista é o idealizador do Museu Brinquedim, em Pindoretama (Ceará), um espaço que recupera, através da arte, uma dimensão fundamental da condição humana: a capacidade de brincar, de jogar e de sorrir. O Museu, localizdo numa casa típica da região, edificada em 1970, em um espaço rodeado de cajueiros e outras espécies nativas, abriga um acervo de centenas de obras, criadas ao longo de 40 anos.

Clique para ampliar

De acordo com o curador do Museu Janete Costa, o professor Wallace De Deus, a arte de Dim lembra alguns dos ícones da arte popular fluminense, como Adalton Fernandes Lopes, cuja obra está espalhada em vários museus nacionais. No entanto, seu trabalho não deve ser confundido com uma ‘brinquedoteca’, como adverte, mas sim como uma ‘arte inspirada nos brinquedos e jogos populares’.

O conceito de Homo Ludens foi desenvolvido pelo historiador e filósofo holandês, Johan Huizinga (1872-1945) que, em seu livro clássico de 1938, argumentava que “o jogo está na gênese do pensamento e da descoberta de si mesmo, da possibilidade de experimentar, de criar e de transformar o mundo, onde se apresenta justamente o lúdico”. Para ele, a ideia de jogo é central para a civilização e este, conceitualmente, não diverge da brincadeira. Em sua teoria, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, “brincar” é coisa muito séria e necessária, além de ser um direito de todos.

Clique para ampliar

Adalton Lopes – Bonequeiro autodidata, nascido em 1938, no Barreto, em Niterói, na casa que residiu até sua morte, em 2005, e lhe servia de atelier, Adalton Lopes, antes de se dedicar exclusivamente à cerâmica, foi pescador, soldado da Polícia Militar, motorista e trabalhou na Companhia Costeira do Ministério dos Transportes. Desde criança, modelava com barro cavalos, bois, fazendas em miniatura e outros temas lúdicos por brincadeira, prática que manteve depois de adulto nas horas vagas. Seus trabalhos que retratam principalmente cenas do cotidiano e da infância do bonequeiro, como o vendedor de balões, de pirulitos, amolador de facas, realejo, fotógrafo lambe-lambe, vendedor de galinhas, folia dos reis, o jongo, presépios, procissões, homens soltando balões, entre outros, eram feitos manualmente com o auxílio de poucas ferramentas. Seus bonecos de barro eram queimados num forno a lenha, para dar mais durabilidade à peça, e decorados com cores fortes e vibrantes. A característica mais marcante de suas montagens são os movimentos dos personagens, feito por motor elétrico que movimenta engrenagens, roldanas, arames, alavancas e fazem as figuras se moverem. Participou, em meados de 2001, da mostra Un art populaire, em Paris, promovida pela Fondation Cartier, que adquiriu para seu acervo o trabalho exposto. Na cidade do Rio de Janeiro, suas obras podem ser vistas no Museu do Folclore Edson Carneiro e na Casa do Pontal-Museu de Arte Popular Brasileira.

Antônio de Oliveira – Nascido em 1912, em Belmiro Braga, no interior de Minas Gerais, Antônio de Oliveira começou a esculpir carrinhos de bois e outras peças com apenas 6 anos. Na adolescência, trabalhava consertando móveis durante o dia e esculpindo “bonecos” à noite. Empreendedor, realizou inúmeras atividades antes de dedicar-se prioritariamente à escultura em madeira, tendo inclusive fundado o primeiro cinema de sua cidade natal. Seduzido pela possibilidade de contar histórias com seus conjuntos de esculturas miniaturizadas, Antônio de Oliveira entregou-se com paixão à recriação de cenas reais ou imaginárias, que compunham o que chamava de “meu mundo encantado”. Refletiu sobre seu processo de criação, deixando muitas observações escritas e gravadas. Morreu em 1996, na terra natal, sem conseguir realizar o sonho de ver sua produção reunida num museu, na cidade em que viveu e que pretendeu imortalizar nas obras. Atualmente, a maior parte de seu acervo integra a coleção do Museu Casa do Pontal.

A exposição “Dim Brinquedim, homo ludens: brinquetú, brincamos nós!” pode ser visitada até o dia 31 de março de 2014, sempre de terça a domingo, das 10h às 18h. Entrada franca. Aos sábados, serão realizadas oficinas de brinquedo, contação de histórias e visitas mediadas, promovidas pelo setor educativo do Museu. Informações: 2705-3929.

Serviço

“Dim Brinquedim, homo ludens: brinquetú, brincamos nós!” 

Exposição de brinquedos, esculturas, telas e objetos tridimensionais produzidos pelo artista cearense Dim Brinquedim, além de peças dos artistas Adalton Lopes, de São Gonçalo, e Antônio de Oliveira, de Minas Gerais

Abertura: 07 de dezembro (sábado), às 15h
Em cartaz: De 07 de dezembro a 31 de março de 2014
Horário de visitação: De terça a domingo, das 10h às 18h
Entrada franca

Local: Museu Janete Costa de Arte Popular
Endereço: Rua Presidente Domiciano, 178-182, Ingá, Niterói-RJ

Informações: (21) 2705-3929