Valéria Barbosa, aluna da Universidade das Quebradas, do Polo de Manguinhos, foi selecionada junto com outras 30 líderes femininas pelo site Word Pulse – rede global de mídia e comunicação dedicada a reunir, conectar e ampliar a voz feminina para transformá-la em uma poderosa força para a mudança – para fazer um curso de Mídia 2.0. Valéria, a única brasileira, e as outras 30 líderes foram selecionadas entre mulheres de 189 países. Leia a seguir o texto que Valéria enviou para concorrer a bolsa de estudos. (Clique aqui para a versão em inglês, publicada no World Pulse). Confira mais textos publicados por ela no World Pulse.


PESSOAS OU LIXO?

Meu Deus, não consigo dormir. Promove em mim o fogo que destruiu os barracos da favela, quando eu era criança. Eu sei que não estou sonhando. Revivo cada memória quando ouço de alguém com as cenas semelhantes do meu passado. Ainda estão sendo usados para destruir a pobreza. A destruição de seu sentido original de pertença.

Os nomes dos programas de mudança de mudança de governo. Um valor de máscara, bem como formas de engenharia de exclusão que eles usam. A metodologia de expulsar as classes menos privilegiadas de transferências é desagradável.

Agora querem ensinar as famílias aprendam a viver em uma casa. Não devemos esquecer que as mulheres estão longe da periferia para limpar as paredes e fazer os alimentos que sustentam a vida diária de seus empregadores, que deve ensinar a quem?

Quem é capaz de dominar os serviços?

Poderia dissecar esta questão como um médico faz em um cadáver para ser estudado. O que é chamado uma subclasse? Atrevo-me a dar apenas um vislumbre de uma menina presa na idéia de memória: tem menos dinheiro, nascido em um país fértil e abundante vegetação. Berço das águas do mundo, com o fornecimento de petróleo, com uma vida e clima e sabendo que o proprietário é quem tem a posse dela. Quem deu os estados para capitães e barões? Aqui era uma terra de índios.

Todas as pessoas nascem sem riqueza, e necessita de cuidados básicos para a sobrevivência, não vai dizer que a pobreza aumenta o poder de desigualdade de poder, reduz o outro a ser sempre miserável.

As questões políticas dos programas são criados sem a digsm cidadãosque realmente precisa. Promove o domínio que não está dividido. Eu não quero deter-me sobre esta questão por ter nascido sem recursos financeiros. mas nunca me senti inferior.

Se eu sobrevivi com os restos do poder, comendo restos de comida, não ser espancado, ter uma casa decente, vivendo com as fezes de uma comunidade, tendo que assistir o quadro pintado com as cores do calibre de armas. Onde a exposição de seus modelos nas cenas de derrubar os meninos ainda priorizando o chão vermelho e corpo negro como pano de fundo. No centro da vida tornam-se rotina tela da janela do nosso caos da infância, produzida por uma transferência que afetou os sentimentos de uma comunidade.

Eu não posso acreditar que o cidadão pobre é menos capaz do que os ricos. Não ter tido o benefício de possuir propriedades, é uma questão histórica da colonização. Se é permitido a nascer pobres, construir cabanas, é preciso também fazer parte deste problema como um direito constitucional.

Eu me lembro da transferência de favelas. Eu vivi 42 anos atrás, eu estava removida em um caminhão de lixo, juntamente com os vizinhos e eles eram todos de ouro para nós. Tudo por causa de que o tempo e o poder reinante em uma especulação dictatorship.Investing política.

E agora é a Copa do Mundo que será em grande parte responsável pelas transferências. A comunidade será tratado como lixo novamente, sem levar em conta a história de suas vidas. Tratados como resíduos.

O governo, a fim de acelerar o crescimento através dos seus programas, que destroem famílias passou anos economizando Eles jogam no chão com a demolição de ligações concretas com o espaço consolidar sentimentos pessoais ea história de um povo.

Crianças tornam-se confusos, desengatar a história de uma era, e comportamentos contribuem para aculturar, neutralizados os recursos que formam a tecelagem espertises nativa de um povo.

Eles não sabem de design e trabalho em equipe, administração pública é dividida em classes que não estão interligadas. Não ter futuros moradores como dar sua opinião ou aproveitando o que foi construído para tirar a vida de quem ganhou.

Os desfavorecidos são empondera para continuar sua vida com sua família na inutilidade. Trabalho, matricular seus filhos em um sistema escolar perto de sua casa, é a ajuda de vizinhos tudo entrou em colapso, ele tem que começar, não há laços fragelização emocional e histórica com o espaço não é apenas uma peça que se move de um tabuleiro. Ele é a vida que eu tenho interesses.

Hoje estou de luto, ver os destroços de casas em uma área onde os moradores esperando o dia de sua casa, seus sonhos, suas vidas veio ao chão.

O chão. Há pedaços no chão que nunca vai ser reconstruído, o suor do rosto do trabalhador, os gritos de uma criança e suas risadas, adoro o design de cada membro da família. O sistema deitado no chão de seus programas que desqualifica o concreto é o sentimento mais importante desses seres.

Pergunto por que mais e mais o mundo é frio? Como as reações naturais que cerca de clima quente?

É o amor que exige cuidados, mais espiritual, ambiental, para começar a valorizar a vida?

Como não se sentir sendo tratado como lixo, tirar sua vida, sua história destruída nos escombros?

O pobre cidadão não tem sentido? Não tem história?

Você tem que pensar muito antes de lançar o ambiente de programação quanto maior a massa da população. Tornando-se o lixo, isso já está em processo de tratamento.

Se o poder transforma as pessoas e o que eles acreditam no lixo dumping nas enchentes neste ato com a civilização. Fermentação em si está sob o assento de amor ao próprio. Permite que as pessoas sejam exterminados sem lógica em ação em favor de um desequilíbrio emocional, estão destruindo o sistema ecológico de vida.

Precisamos intervir. Oferecer um contexto reflexivo da educação, devemos aproveitar nossas crianças a aprender os valores da vida, ética, respeito as pessoas. Hoje, a situação fede poder na trincheira com fetos, crianças mortas, famílias desfeitas e seus próprios resíduos, poluindo o mundo com a vergonha de seus atos imorais.

A população votante do ditador à frente de miséria, é necessário intervir no processo de escravização do sistema que envolve a remoção do valor de etiqueta para convencer nossos dias ser pirata de todos os social.

Nós não precisamos de ganhar esmola, a esmola como s criança, queremos ganhar caminhos, direções, qualidade de vida, eo protagonista de nosso próprio sucesso, assim como a maioria considerada de elite.

Nós não precisamos desse ato porco para aprendizes ou rótulos de pessoas.