Jogos eletrônicos são o tema do próximo Zona Digital, marcado para o dia 5 de março, às 19h30, no Oi Futuro Flamengo. Os convidados são os idealizadores Guilherme Xavier e Arthur Protasio, além de Simone Campos e Pedro Augusto Francisco, que levarão para o centro do debate questões relevantes, como o conceito do jogo como produto cultural e a influência que exerce hoje sobre as novas gerações. Eles têm como base artigos e temas do livro “Jogador de Mil Fases”, que reúne autores brasileiros e estrangeiros e será lançado no primeiro semestre.

Em pauta, textos que dialogam sobre narrativas e cenários como o do diretor japonês Akira Kurosawa, no jogo “Way of the Samurai 3”; os impactos da 2ª Guerra Mundial, no “Red Orchestra”; antropologia no velho oeste em “Red Dead Redemption”; e também uma discussão do papel da mulher na sociedade, através de “Amazon: Guardians of Eden”.

O debate promete desconstruir a ideia de que jogos eletrônicos são rasos. “Não são apenas aspectos gráficos ou comerciais que precisam de discussão. Também precisamos pensar a importância dos jogos como uma mídia expressiva composta por obras artísticas e culturais, como filmes e livros”, defende Arthur Protasio.

Com curadoria de Heloisa Buarque, Eliane Costa e Cristiane Costa, o Zona Digital promoveu nos últimos meses encontros entre artistas, escritores, editores e estudiosos da cibercultura para discutir os rumos da arte nos dias de hoje e o impacto da mídia digital sobre o mercado cultural. Entre eles, Jesse Potash, desenvolvedor da plataforma Publush; Carlo Carrenho, fundador do Publishnews; e Greg Bateman, um dos criadores do Kindle. Projeto da Aeroplano Editora, o Zona Digital tem patrocínio da Oi e da Secretaria de Estado de Cultura, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro.

ZONA DIGITAL – 5 de março

Serviço

Oi Futuro – Flamengo (Rua Dois de Dezembro, 63)

Dia 5 de março, às 19h30

Entrada franca (senhas distribuídas 30 minutos antes do evento)

Sobre os participantes da mesa

Guilherme Xavier é CEO da Donsoft Entertainment. Além de designer de jogos e palestrante na área do entretenimento eletrônico, lançou em 2009 o premiado jogo Capoeira Legends: Path to Freedom e no ano seguinte, o livro pela editora 2AB intitulado “A condição eletrolúdica”.

Arthur Protasio é escritor, roteirista e pesquisador. Coordena o projeto de pesquisa de jogos, CTS Game Studies, da FGV e é presidente da IGDA-Rio.

Simone Campos é escritora, tradutora e editora. É jornalista e produtora editorial pela UFRJ e atualmente mestranda em Teoria da Literatura e Literatura Comparada na UERJ. Estreou na literatura aos 17, com o romance No shopping.

Pedro Augusto Francisco é pesquisador e professor do Centro de Tecnologia e Sociedade, coordenador do projeto Open Business Models.

Isabel Ferreira é graduada em Letras pela PUC-Rio de Janeiro e mestranda em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela mesma instituição. Atua nas áreas de revisão, copidesque e tradução

Sobre as curadoras

Cristiane Costa é coordenadora do curso de jornalismo da ECO-UFRJ, doutora em Comunicação e Cultura e pesquisadora do pós-doutorado do Programa Avançado de Cultura Contemporânea. Foi editora do Portal Literal e hoje edita o site Zona Digital.

Heloisa Buarque de Hollanda é escritora,  professora de teoria crítica da cultura da UFRJ,  coordenadora do Programa Avançado de Cultura Contemporânea (PACC/UFRJ), diretora da Aeroplano Editora e Consultoria e curadora do Portal Literal . É autora de muitos livros, entre eles Impressões de Viagem, Cultura e Participação nos anos 60; Pós Modernismo e Política; O Feminismo como Crítica da Cultura; Guia Poético do Rio de Janeiro;  Outra Línea de Fuego: 15 Poemas Ultracontemporaneas; Enter, Uma Antologia Digital; Escolhas: Uma Autobiografia Intelectual.

Eliane Costa é professora da Universidade Cândido Mendes, formada em Física pela PUC-Rio, com pós-graduação em Engenharia de Sistemas, pela COPPE/UFRJ e MBA em Comunicação com formação em Marketing pela ESPM. É mestranda em “Bens Culturais e Responsabilidade Social” no CPDOC da FGV-Rio, com dissertação sobre o posicionamento do Ministério da Cultura (na gestão Gilberto Gil) diante do cenário das tecnologias digitais e das redes. Trabalhou na Petrobras de 1975 a 2011. Atuou nas áreas de Tecnologia da Informação, na Universidade Petrobras (área de ensino voltada à força de trabalho) e na Comunicação Institucional.

Os encontros

Depois do sucesso do projeto em 2011, que no ano passado chamava-se Oi Cabeça e trouxe ao Oi Futuro, no Flamengo, nomes como Nancy Baym, Scott Lindenbaum, Pierre Lévy e Robert Coover, entre outros, o Zona Digital em  2012 começou em outubro com a presença do americano Peter Meyers, especialista em literatura digital. Em 2013, o Zona Digital traz debates como: Rompendo a Cadeia Editorial, O Jogador de Mil Fases – Experiências, significado e narrativa nos games e, ainda em março, a mesa Acessibilidade.com vai encerrar esta edição.

O Projeto

Projeto da Aeroplano Editora, com curadoria das professoras Cristiane Costa e Eliane Costa, além de Heloisa, o Zona Digital discute o impacto das novas tecnologias na criação cultural em base digital e seu reflexo no mercado editorial. Ao longo dos próximos meses, o Zona Digital reabrirá um espaço importante no debate intelectual, trazendo para o Brasil outros grandes pensadores, ampliando o espectro do projeto original, iniciado em 2011 com o Oi Cabeça. Ao lado das questões geradas pela convergência de linguagens e mídias, serão abordadas questões sociais geradas pelos avanços tecnológicos e pelas práticas low tech que começam a se manifestar como saídas criativas no universo digital.

“O projeto Zona Digital veio para apresentar pensamentos de ponta. Estimular a criação. Provocar e aprofundar debates. Criar uma articulação e promover a produção compartilhada entre artistas e pensadores do universo digital”, diz Cristiane Costa.